sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

LOBOS DISFARÇADOS DE CORDEIROS


Os lobos vorazes estão soltos!
Talvez o leitor de mais idade se lembre dos antigos desenhos animados de lobos que tentavam enganar os cachorros para roubar ovelhas de algum aprisco! Eu não minto quando digo que assisti uma porção deles na minha infância. Só não imaginava na época que tais programas serviriam como ilustração para uma triste realidade da igreja cristã, especialmente a igreja evangélica brasileira atual.
Refiro-me aos lobos vorazes, que não poupam o rebanho. Falo dos farsantes, matreiros, enganadores, que se aproveitam da fé dos menos precavidos e exploram o povo de Deus. Como disse Jesus: “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho” (At 20:29). Estão em todo lugar: em grandes catedrais ou minúsculos salões, muitas vezes no rádio e até na televisão. Nem sempre é fácil identificá-los, pois aparentam unção e simulam piedade – convincentemente!
Sim, eles existem! Por mais que desejássemos, não poderíamos negar que, desde os tempos mais antigos, eles iludem grande número de pessoas, tentando tirar delas tudo o que podem. Na verdade, negar a existência deles seria o mesmo que ignorar todas as advertências da Bíblia Sagrada.
O que a Bíblia fala sobre eles?
No Velho Testamento, são identificados pelos profetas de Deus como cães gulosos que nunca se fartam e pastores que nada compreendem (Is 56:11), pastores que destroem e dispersam as ovelhas do Senhor (Jr 23:1) e que se apascentam a si mesmos (Ez 34:2)!
Também não faltam pejorativos para descrevê-los em o Novo Testamento. A preocupação do Senhor Jesus quanto ao risco que representam chega a ser alarmante. O Supremo Pastor de nossas almas dizia: “Acautelai-vos” (Mt 7:15). Ele não disfarçava sua reprovação ao chamá-los de “lobos roubadores” e “mercenários” (Jo 10:12). O apóstolo Paulo rotulava-os “cães” e “maus obreiros” (Fp 3:2), enquanto que Pedro os considerava “insubordinados” (2 Pe 3:17).
Judas, que não era o Iscariotes, escreveu apenas uma brevíssima epístola, de um só capítulo, mas demonstrou surpreendente verbosidade ao referir-se a eles como “sonhadores alucinados”, “rochas submersas”, “nuvens sem água”, “árvores sem frutos”, “ondas bravias do mar” e “estrelas errantes” (vv 8, 12s).
Comércio de bens espirituais.
O que estes charlatães da fé fazem nos dias de hoje não é muito diferente do que fez Simão, o ilusionista de Samaria, que se “converteu” ouvindo a pregação do evangelista Filipe (At 8:9-13). Quando os apóstolos Pedro e João foram até o lugar e oravam a Deus para que os crentes recém convertidos recebessem o Espírito Santo, impondo-lhes as mãos, Simão ofereceu-lhes dinheiro para que tal poder lhe fosse concedido (At 8:14-25).
Conforme nota da Bíblia de Estudo de Almeida, “desta história de Simão procede a palavra simonia, com a qual se faz referência ao indevido comércio com postos eclesiásticos e com as coisas sagradas”. A prática da simonia sempre esteve presente na história da igreja cristã, chegando a ser um dos estopins que levaram à deflagração da Reforma Protestante no século dezesseis.
Hodiernamente temos assistido a uma pregação adulterada do evangelho de Cristo. As bênçãos já não são mais recebidas pelos cristãos como expressões da graça maravilhosa de Deus. São vendidas bugigangas como se fossem amuletos, para espantar azar e fetiches para atrair boa sorte. Em algumas igrejas, “pastores” chegam leiloar o valor dos dízimos e a pedir quantias exorbitantes em troca de uma oração por qualquer motivo.
O que fazer?
Acredito que muitos cristãos, sinceros e honestos em seu desejo de viver de forma que agrade ao Senhor, temam desprezar alguém que se apresente como servo de Deus e legítimo representante do reino dos céus. E, lamentavelmente, a superficialidade do conhecimento bíblico da maioria dos evangélicos brasileiros contribui para que sejam enganados pelos mais espertos.
Creio, portanto, que somente o conhecimento profundo da Palavra sirva para manter qualquer crente preparado para rechaçar o aliciamento destes falsos obreiros, que são criativos em inventar novas maneiras de tirar dinheiro dos mais incautos. De fato, identificá-los e evitá-los não é tarefa fácil. Jesus avisou: “... porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” (Mt 24:24).
Se tais cristos e profetas são tão convincentes a ponto de confundir até os eleitos de Deus, então faz-se necessário buscarmos ainda melhor preparo, que é o conhecimento cada vez maior da Palavra de Deus. Se os ignoramos, não desagradamos a Deus, pelo contrário: fazemos o que a Bíblia prescreve. O apóstolo João escreveu: “Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas” (2 Jo 1:9s).
Concluo, então, apelando ao leitor: não se deixe levar por promessas mirabolantes e discursos agradáveis. Não dê seu dinheiro a qualquer um que se apresente como missionário ou obreiro. Procure conhecer seu pastor e sua família, mantenha-se firme em sua igreja e estude sempre a Bíblia. Deus o abençoe!

2 comentários:

Claudanir disse...

Caríssimo Rev. Oslei,

Muito sábias e oportunas as tuas palavras e conselhos. Os lobos disfarçados que manipulam a fé cristã existem em todos os meios de comunicação e atacam todos os tipos de pessoas, especialmente, aquelas de pouco saber, as inocentemente puras, inseguras e dependentes de alguém que lhes mostre um caminho. Qualquer caminho. Despreparados são presas fáceis dos espertalhões que usam a fé como meio para o próprio enriquecimento e poder pessoal.
É preciso muito cuidado com os falsos profetas da palavra.Para desmascará-los, e evitar que continuem fazendo vítimas, é necessário difundir cada vez mais a cultura geral básica e a verdade dos princípios e objetivos cristãos.
Parabéns pela tua postura e pelas palavras.

Abraço
Claudanir Reggiani

wagner disse...

M.A.G.N.I.F.I.CO....Abencoado Rev. Oslei...agradeco a Deus por ter me colocado a conhecer a ti...Vc nao sabe como seus textos me edificam...ainda mais nessa fase de estudos mais pela internet, a qual eu me encontro...seus post's caem como uma luva em minha vida...Mas uma vez..parabens pelo brilhante txt e pela constante sabedoria do qual es dono..q Deus o abencoe e o guarde e continue iluminando-o, agregando em vc constante sabedoria vinda dos seus...
Seu conservo em Cristo

Wagner NY