terça-feira, 27 de outubro de 2009

A FÉ CONTAMINADA

Uma história provável.
Permita-me iniciar contando uma história que, se não é verídica, poderia ser. Solicitaram a um certo pastor que visitasse uma senhora, membro de sua igreja já há alguns anos, cuja família estava enfrentando problemas de ordem espiritual - como opressão e coisas assim. Ao chegar na residência daquela mulher, qual não foi a surpresa do pastor! Atrás da porta havia um vaso com a famosa planta “comigo-ninguém-pode”. Sobre a mesa de centro na sala havia uma estatueta em gesso de Buda, com algumas moedas embaixo. E na estante um pouco além, alguns livros de Allan Kardec e outros psicografados pelo conhecido médium mineiro Chico Xavier.
Aquela senhora, que há tanto tempo atrás havia confessado a fé cristã e recebido o batismo em nome da Santíssima Trindade numa igreja evangélica, explicou com naturalidade ao pasmado pastor, que a planta atrás da porta servia para espantar o “mau-olhado” ou “olho-gordo” dos vizinhos e visitantes. A imagem sobre a mesinha fora colocada ali com o objetivo de ajudar na solução dos problemas financeiros atraindo prosperidade material. E ela adquiriu alguma literatura espírita porque alguém havia lhe dito que isso ajudaria na compreensão das doutrinas bíblicas.
Este breve relato pode parecer cômico a princípio, mas, na verdade, não é! Esta história pode não ser verdadeira, mas é muito provável que aconteçam fatos muito semelhantes aos nela descritos nas casas dos crentes por aí a fora. Ela nos desperta para uma realidade preocupante: que muitos cristãos - bem intencionados, até! - talvez, por falta de conhecimento bíblico e discernimento espiritual, se envolvem com ensinos e práticas contrários à Palavra de Deus e aos princípios cristãos, trazendo sobre suas vidas e famílias tremendos prejuízos espirituais, emocionais e morais.
O que se observa, portanto, é o que classifico como contaminação da fé. Acontece quando alguém crê em Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida, mas não consegue depositar toda sua confiança unicamente nele. É um procedimento lamentável, sobre o qual a Bíblia exorta, e que deve ser evitado, tais as conseqüências que acarreta.

O que é contaminação?
Você sabe o significado da palavra contaminação? É o ato ou efeito de contaminar-se! No dicionário encontram-se as seguintes definições para “contaminar”: Contagiar, provocar infecção, corromper ou viciar. Ou, como qualquer um de nós poderia responder, contaminação é impureza. Creio então que, assim como um manancial de águas pode estar contaminado com impurezas (poluição e sujeira), que compromete suas propriedades e finalidades, a fé também pode ser contaminada.
No Antigo Testamento, Deus ordenou aos israelitas que não se permitissem influenciar pelos costumes dos povos: “Com nenhuma destas coisas vos contaminareis, porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu lanço de diante de vós... Portanto, guardareis a obrigação que tendes para comigo, não praticando nenhum dos costumes abomináveis que se praticaram antes de vós, e não vos contaminareis com eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus”. E mais: “Não vos voltareis para os adivinhos, nem para os necromantes, não os procureis para serdes contaminados por eles” (Levítico 18:24,30; 19:31). Conforme podemos observar, Deus considera as práticas ocultistas e esotéricas como contaminação, as quais seu povo deve evitar.
Em o Novo Testamento, quando Jesus afirma que “nada há fora do homem que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai do homem é o que contamina” (Marcos 7:15), ele não está negando as recomendações de Levítico; mas criticando o legalismo judaico, ou seja, a tendência de reduzir a fé aos aspectos puramente materiais e formais das observâncias, práticas e obrigações religiosas. Conforme nota da Bíblia de Estudo de Genebra, o Mestre “está fazendo uma generalização a respeito do modo constante e natural pelo qual se expressa a natureza humana decaída e... visa trazer ao homem autoconhecimento da sua própria imundície interior”.
Alguém já disse: “A família forma, a escola informa, a sociedade deforma, a religião reforma, mas só Cristo transforma”! O escritor Orlando Boyer comenta que, para alguns, as leis determinam quase tudo na vida; para outros, é a educação que vai mudar a natureza humana. Mas ele afirma: “Sem a regeneração do coração, muito pouco, ou nada, valem a legislação e a educação”!

O cristão e o horóscopo.
Podemos compreender o valor e a necessidade da regeneração uti supra, nesse processo, quando lemos o capítulo dezenove do livro de Atos. Transformados pelo “lavar regenerador do Espírito” (Tito 3:5), os ex-adeptos da magia em Éfeso creram em Jesus e queimaram seus livros de encantamentos. Alcançados pela graça de Deus foram salvos, declararam rompimento oficial e público com seu passado de ocultismo e eliminaram quaisquer riscos de contaminação. Escreveu o puritano John Gill: “Eles queimaram seus antigos livros de mágica para mostrar o quanto agora os detestavam. Também, para mostrar a genuinidade de seu arrependimento pelos pecados cometidos nessa área, para evitar que esses livros não se tornassem uma armadilha para eles no futuro e para que não fossem usados por outros”.
Nestes dias em que vivemos, de subjetivismo ideológico e pluralismo religioso, Bíblias são exibidas nas vitrines dos shoppings cercadas por cartas de tarot, tábuas de ouija, cristais e livros escritos por gurus ou psicografados por médiuns; também a pregação de um evangelho fácil, carente de profundidade doutrinária, contribui para que pessoas recebam a Cristo em suas vidas, mas não inteiramente (se é que isso seja possível!). É aquilo que Dietrich Bonhoeffer chama de graça barata: “a pregação do perdão sem exigir arrependimento, batismo sem disciplina na igreja, absolvição sem confissão pessoal”. Pode parecer incrível, mas uma pesquisa realizada nos Estados Unidos revela que 11% dos crentes americanos consultam horóscopos e acreditam em astrologia. Qual seria a porcentagem se pesquisa semelhante fosse realizada no Brasil?
Concluo, portanto, convidando o leitor: se ainda não recebeu Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida, que aproveite esta oportunidade dada por Deus e o faça. A Bíblia declara que se cremos no Senhor Jesus, somos salvos e nos tornamos filhos de Deus (Atos 16:31a e João 1:12). Ao leitor que já é cristão, mas ainda repousa parte de sua esperança em amuletos, talismãs, simpatias, rezas e imprecações, tais como: sal grosso, rosa ungida, água fluidificada, fitas e pulseiras, pés-de-coelho, ferraduras, etc., que abandone essas práticas, pois, à luz da Palavra de Deus - e são muitíssimos os versículos que eu poderia citar, entendemos serem inúteis todas elas.
O apóstolo Paulo declarou que Deus “é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós” (Efésios 3:20). E o próprio Deus falou, por meio do profeta: “... antes de mim nenhum deus se formou, e depois de mim, nenhum outro haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador... Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?” (Isaías 43:10a-13).

Nenhum comentário: