terça-feira, 29 de junho de 2010

DEIXE A PALAVRA DE DEUS FALAR POR SI!

Pense um pouco nos métodos que usamos em nossas congregações. Por exemplo: que truques usamos para levantar fundos? Será que eles não acabam agindo para o mal em lugar de contribuir para o bem? Os pastores presentes na conferência na Regent College riram quando contei de algumas igrejas que usavam um programa de estímulo à boa mordomia baseado em "pôneis expressoas": pessoas montando pôneis iam até à residência dos membros da congregação, levando bolsas na sela para recolher as doações. E isso é verdade. Existem programas assim.

Por que, em vez de fazer esse tipo de coisa, não nos limitamos a falar sobre o imenso amor que Deus tem por nós, sobre o convite que Ele nos fêz para doarmos com generosidade, de todo coração, e sobre a missão da comunidade, para a qual precisamos de recursos? Talvez sua igreja não tenha recorrido a truques para conseguir a mordomia das pessoas, mas se formos totalmente honestos teremos que admitir que já usamos, em outras situações, métodos que talvez sejam questionáveis.

Uma das áreas que mais atrai minha atenção, e com a qual me preocupo muito, é a dos métodos adotados nos cultos de adoração, pois muitas igrejas de nossos dias dependem de estratégias de marketing para atrair as pessoas. Geralmente é fácil reconhecer os pastores que confiam em demasia na "Técnica" pelo modo como lêem as Escrituras. Quando não cremos que a Palavra carrega em si mesma seu próprio poder, começamos a manipulá-la pelo modo como a lemos. A adoração se degenera quando nos transformamos em apresentadores de programas de entrevistas - como se Deus não fosse convincente por Ele mesmo quando o mostramos claramente aos outros.

O tipo de conversa-fiada que me perturba é composta de comentários introdutórios, como: "Agora preste muita atenção a este texto, pois ele é muito emocionante", "Esta música é tão empolgante! Preste atenção à letra", "Eu amo esta canção, ela me comove TANTO - espero que toque em você também".

Comentários assim afastam-nos de Deus, levando nossa atenção para a pessoa que está falando. Deixe que o texto fale por isso só. Permita que Deus fale através do texto. Evidencie uma imagem que talvez não seja bem compreendida em uma música ou explique a referência bíblica. Mas dizer, meramente, a influência subjetiva que tem sobre você significa afastar o foco de Deus, firmando-o em você mesmo.
Marva J. Dawn
O Pastor Desnecessário

2 comentários:

AMADA DE DEUS disse...

QUERIDO PASTOR OSLEI,ESSE TEXTO PELO QUAL ESCREVEU,REALMENTE ME CHAMOU ATENÇÃO.SERÁ QUE É PRECISO TANTO MARKETIM NA NOSSAS IGREJAS PARA QUE POSSAMOS EXERGAR DE FATO A VONTADE DE DEUS?OU SERÁ QUE DEIXAMOS MAIS AINDA DE FOCALIZAR NA VERDADE E VOLTAMOS PARA AS COISAS MUNDANAS? A PALAVRA DIZ E EU ESTOU SENDO DICIPLINADA NISSO QUANDO DIZ:TRAZEI TODOS OS DIZIMOS NA CSA DO SENHOR...MALAQUIAS 3:10... E ASSIM POR ADIANTE ACHO QUE NÃO É NESCESSARIO ARMAR UM CIRCO PARA QUE NÓS SENSIBILIZAMOS,POIS A PALAVRA TBM DIZ,NÃO POR FORÇA E NEM VIOLENÇIA MAS PELO SEU ESPIRITO..AMÉM. APALAVRA VAI DIZER ,SÓ NOS RESTA OUVIR E OBEDECER. ABRAÇOS.

Beto, O Mariano!!! disse...

Falou e disse!!! Saudações Pr.