quarta-feira, 25 de agosto de 2010

ORE PELO SEU PASTOR!

Já há algum tempo venho pedindo aos amigos do Orkut e Facebook que intensifiquem suas orações em favor dos pastores evangélicos brasileiros. Que tal se nós transformássemos essa atitude numa campanha de oração a nível nacional, sem bandeira denominacional?

Para contribuir com a divulgação desse projeto, preparei quatro cartazes que você pode copiar do meu álbum ou solicitar artes de melhor qualidade de imagem pelo e-mail pastoroslei@terra.com.br. Os cartazes não trazem nenhuma marca ou logotipo de igreja, justamente para que possam ser utilizados por todos os cristãos, em qualquer lugar.

Imprima-os, coloque-os em lugares visíveis de sua igreja e empresa e convoque os irmãos para orar em favor da integridade no ministério pastoral do Brasil. Ore junto com sua família, irmãos na fé e colegas de trabalho, nos cultos da igreja e nas reuniões das células ou pequenos grupos. Se puder, envie uma mensagem para mim, contando como tem sido esta experiência, ok?!

Muito obrigado, um grande abraço, fique na paz!

ORE PELO SEU PASTOR!

ORE PELO SEU PASTOR!

ORE PELO SEU PASTOR!

ORE PELO SEU PASTOR!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ASSUMI QUE SOU UM BOBO!

Conforme definição do dicionário, bobo é um indivíduo tolo. Tolo, por sua vez, é sujeito pobre de inteligência, que raciocina ou procede ininteligentemente. Até bem pouco tempo atrás, eu ficaria muito indignado se alguém me chamasse de bobo: Onde já se viu ousarem questionar minha inteligência, minha capacidade de raciocinar e agir coerentemente?! Entretanto, recebi recentemente uma mensagem eletrônica que trazia anexo o texto “Das vantagens de ser bobo”, da escritora brasileira Clarice Lispector (1920-1977). Após ler esse texto, mudei minha atitude. Graças a ele, já não me importo mais se for considerado um bobo.

Na verdade, o texto de Lispector me fez lembrar uma passagem bíblica muito significativa e oportuna, uma parábola contada por Cristo: “Havia um homem rico que tinha um administrador que cuidava dos seus bens. Foram dizer a esse homem que o administrador estava desperdiçando o dinheiro dele. Por isso ele o chamou e disse: Eu andei ouvindo umas coisas a respeito de você. Agora preste contas da sua administração porque você não pode mais continuar como meu administrador. Aí o administrador pensou: O patrão está me despedindo. E, agora, o que é que eu vou fazer? Não tenho forças para cavar a terra e tenho vergonha de pedir esmola. Ah! Já sei o que vou fazer. Assim, quando for mandado embora, terei amigos que me receberão nas suas casas. Então ele chamou todos os devedores do patrão e perguntou para o primeiro: Quanto é que você está devendo para o meu patrão? Cem barris de azeite! – respondeu ele. O administrador disse: Aqui está a sua conta. Sente-se e escreva cinqüenta. Para o outro ele perguntou: E você, quanto está devendo? Mil medidas de trigo! respondeu ele. Escreva oitocentas! mandou o administrador. E o patrão desse administrador desonesto o elogiou pela sua esperteza. E Jesus continuou: As pessoas deste mundo são muito mais espertas nos seus negócios do que as pessoas que pertencem à luz” (Lucas 16:1-8, NTLH).

Bem, leia você mesmo o texto e decida o que prefere ser: bobo ou esperto?

DAS VANTAGENS DE SER BOBO

Clarice Lispector

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir, tocar no mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo, estou pensando”. Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem à idéia.

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo parece nunca ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era que o aparelho estava tão estragado que o concerto seria caríssimo: mais vale comprar outro.

Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e, portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu. Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama! Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz. O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação, os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás, não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas! Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.