domingo, 2 de janeiro de 2011

COISAS QUE EU NÃO PRECISO PARA O ANO NOVO

Deus é o doador de todas as coisas boas: “Tudo de bom que recebemos e tudo o que é perfeito vêm do céu, vêm de Deus, o Criador das luzes do céu” (Tiago 1:17, NTLH). Percebi que, por crer nisso, eu vinha tratando a oração como se estivesse preparando uma lista de presentes de Natal, pedindo a Deus pelas coisas que eu queria e pensava que precisasse em minha vida. É possível, entretanto, que durante todo esse tempo, ele não tenha me dado tudo o que eu pedi, esperando que eu me desfizesse de outras coisas, como velhos hábitos, e lhe desse mais espaço em minha vida. Assim, eu vou começar este novo ano listando algumas coisas que, com a ajuda de Deus, quero eliminar da minha vida. Eu vou pedir ao Pai que tire de mim:


Minha necessidade de ser apreciado. Eu não preciso do elogio de ninguém ao meu redor, pois Deus é o único a quem eu preciso impressionar. É a aprovação dele o que realmente importa. Não quero ser como certos líderes judeus dos tempos de Jesus que “gostavam mais de ser elogiados pelas pessoas do que de ser elogiados por Deus” (João 12:43, NTLH).


Minha necessidade de me “encaixar”. A Bíblia diz: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2, ARA) e “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância” (1 Pedro 1:14, ARA)


Minha necessidade de parecer inteligente. Eu não preciso ser um grande orador para compartilhar as boas novas de Jesus Cristo; o poder está na mensagem do evangelho, não nas minhas palavras: “[O evangelho] é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Romanos 1:16, ARA).


Minha necessidade de ser fisicamente atrativo. A maioria das pessoas observa a aparência física, mas elas não vêem o que o Senhor vê; ele vê o meu coração: “O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração” (1 Samuel 16:7, NVI).


Minha necessidade de ser o primeiro. O apóstolo Paulo escreveu que eu não deveria procurar pelo que é bom para mim, mas, primeiro, pelo que é bom para os outros: “Ninguém deve buscar o seu próprio bem, mas sim o dos outros” (1 Coríntios 10:24, NVI).


Minha necessidade de ser rico. A Bíblia diz: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Lucas 16:13, ARA). Eu vou colocar Deus em primeiro lugar na minha e deixar o resto com ele…


Minha necessidade de ser forte. Minha própria força nunca será suficiente, mas a Bíblia me diz que o poder de Deus pode se aperfeiçoa em mim na minha fraqueza e que, “quando sou fraco, então é que sou forte” (2 Coríntios 12:9,10).


Minha necessidade de ser “bom o bastante”. Eu sempre tento ser bom e fazer o que é certo, mas não importa o quanto me esforce, eu sempre falho. Eu sempre fico aquém da glória de Deus. É maravilhoso saber que, não por mim, mas por sua graça e através da obra de Jesus Cristo, eu sou bom o suficiente para ele: “Jesus foi entregue para morrer por causa dos nossos pecados e foi ressuscitado a fim de que nós fôssemos aceitos por Deus” (Romanos 4:25).

Lynne Chapman, editora da revista Bella Online
Tradução e adaptação: Rev. Oslei do Nascimento