segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O QUE DEUS FAZ QUANDO ESTAMOS EM AFLIÇÃO


Esboço de sermão


Texto-base: “Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento; por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios... Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito” (Êxodo 3:7-8a, 10).


Introdução: Os hebreus haviam sido bem recebidos no Egito, mas devido a um revés na história, vinham sofrendo como escravos naquela terra havia 430 anos. De um arbusto em chamas Deus dirigiu a Moisés as palavras acima, revelando sua decisão de encerrar a aflição de seu povo.


Desenvolvimento: A aflição pode ser definida como padecimento físico, tormento, tortura, agonia. Há alguém entre nós que não tenha experimentado alguma aflição nesta vida? Mas encontramos alívio para nossas almas aflitas em cinco ações de Deus, identificáveis neste texto. Vejamos...


1ª. Deus vê (v 7a). O Senhor não é como os ídolos dos falsos deuses dos povos pagãos, que “têm olhos e não vêem” (Salmo 115:5b). Antes, “os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia; para lhes livrar as almas da morte, e para conservá-los vivos na fome” (Salmo 33:18s). Há pessoas neste mundo que nada vêem além de si mesmas; Deus, entretanto, se preocupa conosco e vê pelo que passamos!


2ª. Deus ouve (v 7b). Novamente, o Senhor não é como os ídolos, “que têm ouvidos e não ouvem” (Salmo 115:6a). Antes, seus ouvidos estão atentos às nossas orações (2 Crônicas 7:15); ele ouve 
nossa voz e nossas súplicas (Salmo 116:1). João Calvino escreveu: “Se devemos receber algum fruto de nossas orações, devemos também crer que os ouvidos de Deus não se fecharam contra elas”.


3ª. Deus conhece (v 7c). A Nova Versão Internacional traz: “Sei quanto eles estão sofrendo”. Está escrito que “ele conhece nossa estrutura e sabe que somos pó” (Salmo 103:14) e, por isso, se compadece de nós. Ele sabe que somos frágeis, e muito pouco é suficiente para nos abalar. Por isso “os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre (Salmo 125:1).


4ª. Deus desce (v 8a). Assim como o Pai desceu para libertar os israelitas, o Filho desceu para salvar os pecadores. Jesus disse: “Eu desci do céu... Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer desse pão, viverá para sempre. Este pão é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo” (João 6:38, 51).


5ª. Deus envia (v 10). Deus enviou Moisés para libertar os israelitas e enviou Jesus para nos salvar. Está escrito: “Deus enviou seu Filho... Para resgatar os que estavam sob a lei” (Gálatas 4:4s). Nós, confortados de nossas aflições, somos enviados por Ele para levar esta mensagem aos que ainda estão aflitos, sem consolo algum: “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também os envio” (João 20:21).


Conclusão: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16:33).


Rev. Oslei do Nascimento

Nenhum comentário: