quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

SIMPATIAS E PROMESSAS DE ANO NOVO


Nesta época do ano, ansiosas por dias melhores, não são poucas as pessoas que apelam para as simpatias e as promessas. Simpatias são rituais de origem popular, praticados para a obtenção de algum resultado através de rezas, sinais, drogas e preceitos. Os procedimentos das simpatias variam bastante, desde os mais simples até os mais complexos. Pular sete ondas, comer lentilhas, usar roupas de determinadas cores, escrever nomes em tecidos e enterrar fotos são exemplos.


Nós não devemos ceder a essas superstições! Apesar de parecerem inofensivas, as simpatias são pecado perante Deus. Os adeptos destas práticas afirmam que elas são o resultado do olhar de feiticeiros e curandeiros. Quanto a isso, a Bíblia nos adverte: “Não permitam que se ache alguém entre vocês... que pratique adivinhação, ou dedique-se à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium ou espírita ou que consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas” (Dt 18:10-12). Confiemos a Deus toda nossa vida, como cantamos: “Porque ele vive, posso crer no amanhã/ Porque ele vive, temor não há/ Mas eu bem sei, que o meu futuro/ Está nas mãos do meu Jesus/ Que vivo está”.


Já as promessas são também chamadas resoluções. Não é errado resolver mudar alguma coisa na vida, especialmente se for para o bem! As resoluções podem ser passar mais tempo com a família, perder peso, pagar dívidas, aprender algo novo e coisas assim. Muitas dessas promessas, porém, viram piada por serem logo esquecidas. Mas uma promessa é um voto, e a Bíblia nos ensina: “Quando você fizer um voto, cumpra-o sem demora, pois os tolos desagradam a Deus; cumpra o seu voto. É melhor não fazer voto do que fazer e não cumprir” (Ec 5:4-5).


E devemos evitar as promessas que objetivam apenas satisfazer nossas vontades ou prejudicar alguém. Tais desejos não podem nos dominar. O apóstolo Paulo escreveu: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Fp 4:8).


Esqueçamo-nos das resoluções egoístas e mesquinhas e pensemos nisto: “Quem quiser amar a vida e ver dias felizes, guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade. Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos à sua oração, mas o rosto do Senhor volta-se contra os que praticam o mal” (1 Pe 3:10-12). Desejo a você um feliz 2012, em nome de Jesus!

Rev. Oslei do Nascimento

RESOLUÇÕES PARA UM ANO NOVO


Todos nós sabemos bem que nesta época do ano as pessoas têm o costume de fazer promessas, aquelas chamadas resoluções. Como também já sabemos, não há nada de errado em resolver mudar alguma coisa na vida, especialmente se for para o bem! As resoluções podem ser passar mais tempo com a família, perder peso, pagar dívidas, aprender algo novo, conhecer novos lugares e coisas do gênero. A Bíblia conta que, um dia, Jesus fez algo assim: “E aconteceu que, ao se completarem os dias em que devia ser ele assunto ao céu, manifestou, no semblante, a intrépida resolução de ir para Jerusalém” (Lc 9:51). Isto porque naquela cidade ele deveria morrer pelos pecadores, conforme a vontade de Deus.


As razões que levaram Jesus a firmar o propósito de ir a Jerusalém eram muito nobres. Por outro lado, as nossas motivações, ao estabelecermos nossas resoluções de ano novo, são, geralmente, muito pobres. Na maioria dos casos, são superficiais e egoístas, e estão mais relacionadas às questões físicas e materiais do que às espirituais. Não podemos permitir que nossas mentes sejam dominadas por conceitos deste tipo. Por isso o apóstolo Paulo nos adverte: “Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas” (Cl 3:2). Que pensemos, com a mente de Cristo, nos assuntos de Deus, do reino dos céus, da Bíblia, da Igreja, e assim por diante.

Não nos preocupemos apenas em emagrecer, viajar ou ganhar dinheiro, mas firmemos propósitos mais espirituais! Eis aqui algumas boas sugestões para todos nós que estamos resolvidos a mudar algumas coisas em nossas vidas neste novo ano.


O que acontecerá a nós e a nossos amados se resolvermos que, em 2012, seremos bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-nos mutuamente, assim como Deus nos perdoou em Cristo (Ef 4:32)? E se nós resolvermos que não retribuiremos a ninguém mal por mal, procuraremos fazer o que é correto aos olhos das outras pessoas e faremos o possível para viver em paz com todos (Rm 12:17-18)?


E que tal se resolvermos que neste ano seremos dizimistas fiéis, crendo que Deus vai abrir as comportas dos céus e derramar sobre nós tantas bênçãos que nem teremos onde guardá-las (Ml 3:10)? E se resolvermos que realmente vamos passar a buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, sabendo que tudo o que precisamos para nossa sobrevivência nos será acrescentado (Mt 6:33)?


Estes são apenas alguns exemplos de decisões diferentes que podemos tomar para mudar nossa vida em 2012. Que o Senhor, nosso Deus, nos ajude a firmarmos propósitos desta natureza e a cumprir cada um deles!
           
Rev. Oslei do Nascimento

UM POUCO MAIS SOBRE RESOLUÇÕES DE ANO NOVO



Viajar mais, dedicar mais tempo à família, emagrecer, melhorar as notas... Estes são alguns exemplos típicos de resoluções de ano novo. Promessas como essas podem ser positivas, nos ajudando a evitar a procrastinação na realização de nossos projetos de vida. Infelizmente, a maioria delas é esquecida e deixa de ser cumprida. Isso acontece com tanta freqüência que já surgiram sites na Internet para ajudar os usuários a cumprir suas resoluções, permitindo que eles criem planos de objetivos e oferecendo recompensas e punições para seu desempenho.

Os seguidores de Jesus Cristo não têm - ou, pelo menos, não deveriam ter - dificuldades quanto à disciplina que lhes permite alcançar seus objetivos. Principalmente porque não se esforçam para atingir metas momentâneas, mas duradouras, que são a nossa redenção e a vida eterna após a morte. Ilustrando essa verdade com o exemplo da obstinação dos atletas decididos a vencer uma competição, o apóstolo Paulo escreveu: “Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre” (1 Co 9:25).

Enquanto os outros desanimam rapidamente dos objetivos propostos no início de cada ano, nós, cristãos, não devemos desistir jamais dos dons que o próprio Deus têm nos reservado, isto é, a salvação e a vida eterna na glória dos céus. O mesmo Paulo escreveu ainda: “Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3:13-14).

Também o autor da carta aos Hebreus, ciente dos obstáculos que enfrentamos neste mundo, e desejoso de nos encorajar a permanecermos firmes em nosso propósito, escreveu: “Portanto, também nós... livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé” (Hb 12:1-2).

Como podemos perceber, o segredo para ganharmos a “coroa que dura para sempre” e “o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo” é olharmos firmemente para Jesus, “autor e consumador da nossa fé”. Assim, enquanto muitos estiverem desistindo de suas resoluções fugazes, nós, os que permanecermos resolutos em nosso propósito, poderemos declarar: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé” (2 Tm 4:7). Estabeleçamos a resolução de vivermos para o louvor da glória de Deus não apenas durante um ano, mas por toda a nossa vida!

Rev. Oslei do Nascimento